9 Erros Comuns na Troca de Óleo

3 de junho de 2020

Além de ser responsável pela lubrificação, o óleo atua na prevenção do desgaste, da oxidação e da corrosão das peças do motor. Assim, o componente garante o bom desempenho do propulsor e evita prejuízos para o motorista. A lubrificação errada pode significar a redução da performance do automóvel, o aumento no consumo de combustível e até mesmo a fundição do motor. 

Veja, a seguir, nove erros que você não deve cometer na troca de óleo: 

1 - Limpar a vareta com estopa: a estopa pode deixar resíduos do óleo antigo contaminarem o novo lubrificante. Opte pelo uso do papel absorvente para limpar a vareta durante a troca do lubrificante.

2 - Passar do prazo para a troca do produto: todo fabricante estipula no Manual do Proprietário um prazo que deve ser seguido. Normalmente, o intervalo indicado é a cada 5 mil km ou 10 mil km. Utilizar o óleo além do período recomendado leva à formação de borra e compromete a capacidade de lubrificação das peças internas do motor, já que aumenta o atrito e o desgaste precoce.

3 - Completar o óleo: ao completar o óleo na troca do lubrificante, o produto novo é misturado com o usado e acaba contaminado. O resultado é um lubrificante misto e bem diferente dos dois originais, comprometendo sua eficácia, bem como o desempenho do motor. Por isso, deve-se trocar todo o óleo do cárter por um novo.

4 - Usar aditivos: Além de comprometer as propriedades do lubrificante, gerando a formação de depósitos no motor, faz você desperdiçar dinheiro e energia. Isso porque os óleos de boa qualidade presentes no mercado já contém um pacote de aditivos específicos em suas composições e atendem a todas as necessidades do veículo.

5 - Misturar lubrificantes na troca de óleo: a prática é uma das principais armadilhas para os motoristas. Muitos misturam os produtos em situações de emergência, como durante um vazamento, por exemplo. Embora não seja recomendado, é possível misturar lubrificantes de marcas diferentes, desde que tenham a mesma base (sintético, semissintético ou mineral), viscosidade e grau API e SAE. Caso contrário, há prejuízo na eficiência da lubrificação, gerando sérios riscos ao motor.

6 - Pingar óleo no motor: afeta as áreas mais críticas, entre elas, velas, câmara de combustão e catalisador. Quando um desses componentes é afetado, há aumento nos custos de manutenção e nos gastos com combustível.

7 - Bujão fechado indevidamente: bujão é como é conhecido o parafuso que fecha o dreno do cárter de óleo. O item deve ser aparafusado corretamente para evitar vazamentos. Daí, a importância de um profissional especializado fazer a troca de óleo para fechar o bujão sem excesso de força ou sem deixá-lo frouxo demais.

8 - Não trocar o filtro do óleo: o filtro conserva em seu interior um volume residual de óleo oxidado que contamina o lubrificante novo, acelerando o processo de envelhecimento. Por isso, deve ser trocado, simultaneamente, com o óleo para não carregar as impurezas retidas para dentro do motor novamente.

9 - Rodar com lubrificante acima ou abaixo do nível: deve ser evitado. Óleo no nível mínimo compromete a lubrificação já que aumenta a fricção entre as peças. Com isso, o desgaste dos componentes do motor é maior e resulta em perda de potência imediata, em excesso de calor ou mesmo na fundição do motor. E, ao contrário, rodar com lubrificante acima do nível, leva o produto a transbordar e cair em locais fora do sistema de lubrificação. Acompanhe o nível do componente e agende sua troca de óleo respeitando as necessidades do seu carro.

Curtiu a dica? Siga-nos no instagram @sosbateria para ficar por dentro de mais conteúdos como esse!   

Relacionados

04 coisas que você deve saber antes de comprar a bateria do seu carro

06.01.20

Visto que a bateria automotiva é um dos principais componentes do veículo, é de extrema importância estar atento na hora da compra, para adquirir aquelas que realmente são de qualidade. Por isso lhe mostraremos a seguir, os 04 pontos importantes na hora de adquirir uma bateria:

 

Marca

Apesar da marca da bateria representar a sua inegável qualidade, suas características técnicas devem ser levadas como prioridade na escolha da bateria certa para seu veículo. Por isso é de extrema importância uma primeira análise de sua amperagem, seu tamanho, sua voltagem, etc. 

 

Voltagem, amperagem e tamanho

Essas características definem se a bateria que você adquiriu é compatível com o seu automóvel. A voltagem e a amperagem da bateria são os grandes fatores que definem sua performance no veículo. Discrepâncias relativas a essas características podem resultar em problemas como sobrecarga, por exemplo. Já o tamanho da bateria é um fator que influencia fisicamente na escolha, pois se ela for pequena demais, ficará folgada no compartimento, e caso seja grande demais, simplesmente não caberá no veículo.

 

Selo Inmetro

Esse selo é responsável por verificar uma série de fatores de garantirão o padrão de qualidade da bateria que você está adquirindo. Assim, qualquer marca que possuir este selo estará em boas condições para aquisição, instalação e uso.

 

Descarte

Por possuírem uma série de substâncias altamente tóxicas em seu interior, o descarte da bateria de carro deve ser feito de maneira consciente. A bateria antiga, por exemplo, não pode de forma alguma ser simplesmente abandonada em um lugar qualquer. E é por isso que certas lojas aceitam a devolução da bateria usada para o fabricante, de forma que certas partes possam ser reaproveitadas (carcaça ou suas placas de chumbo, por exemplo).

10 itens que você mesmo pode checar no seu carro

23.04.20

Checar constantemente os itens do carro é essencial para garantir a vida útil do automóvel. Separamos uma lista com 10 itens que você mesmo pode conferir no seu dia a dia. Dá uma olhada: 

1 – Água

É imprescindível que o nível de água seja checado com frequência, principalmente antes de uma viagem, pois é ela a responsável pela refrigeração do motor.

2 – Óleo

Outro nível a ser verificado é o do óleo. Atuando em conjunto com o motor, é de extrema importância que o seu nível não esteja abaixo do mínimo, pois prejudica a lubrificação e a limpeza do motor.

3 – Estepe

Nunca deixe o estepe em mau estado; ele é tão importante quanto os outros pneus, e deve ser mantido em bom estado para ser usado nos momentos de emergência. Na manutenção e revisão, não esqueça de pedir também.

4 – Extintor

Confira sempre se o extintor está no local correto e com o prazo de validade em dia.

5 – Luzes

Os piscas, a luz de freio, a ré, o alerta, a iluminação traseira, os faróis alto e baixo devem ser sempre testados antes de pegar a estrada.

6 – Itens de emergência

É de extrema importância a presença do macaco, do triângulo de sinalização e da chave de roda dentro do veículo.

7 – Freio de mão

O freio de mão deve estar regulado para evitar qualquer tipo de falha.

8 – Volante

Antes de um percurso mais longo, faça um teste com o carro e repare se há trepidações pelo volante.

9 – Palhetas

A checagem das palhetas pode ser feita de forma visual. É importante que a borracha não esteja ressecada para garantir o bom desempenho quando for necessário utilizar.

10 – Pneus

Todos os quatro pneus devem ser vistos bem de perto.

Vale lembrar que a revisão periódica em locais especializados é de extrema importância para o bom funcionamento do seu carro. A lista que elencamos são apenas pequenas dicas que podem evitar dores de cabeça futuras por multas e/ou na parte de manutenção.

 

3 dicas para lembrar dos sinais de trânsito

29.05.20

Memorizar os sinais e placas de trânsito são essenciais, mas muitas pessoas têm dificuldade de lembrar o significado de todos os ícones, fato que pode levar a uma reprovação no exame teórico da habilitação ou pior: a um acidente no trânsito. Por isso, separamos 3 dicas que vão te ajudar nessa jornada!⁣

Dicas para lembrar dos sinais de trânsito

Dicas para lembrar dos sinais de trânsito 1: Cores e tipos de placas de trânsito

Para não falhar na hora de decorar e aprender todos os sinais de trânsito é importante saber que eles estão organizados em categorias separadas e cada uma delas possui uma cor e característica de formato dominante. São elas:

  • Placas de regulamentação: Informa aos usuários as condições, proibições, obrigações ou restrições no uso das vias urbanas e rurais. são majoritariamente circulares, com um contorno vermelho, fundo branco e com os caracteres e informações na cor preta. Dizem respeito aos limites de velocidade, permissão ou proibição de mãos, guias e se é permitido ou não estacionar em determinado lugar. O desrespeito a estes sinais constitui infrações do Código de Trânsito Brasileiro.

  •  Placas de sinalização de obras: Têm como característica identificar seu caráter temporário; que sejam preservadas as condições de segurança e fluidez do trânsito e de acessibilidade; que os usuários sejam orientados sobre caminhos alternativos. Estas placas de trânsito são todas amarelas, com formato de losango ou retangular, com os caracteres em preto. São geralmente mais intuitivas do que as primeiras, talvez por terem mais informações combinadas com as visuais.

  •  Placas de advertência: Alerta aos usuários as condições potencialmente perigosas, obstáculos ou restrições existentes na via ou adjacentes a ela, indicando a natureza dessas situações à frente, quer sejam permanentes ou eventuais. Estes sinais de trânsito são quase todos em formato de losango de cor amarelo-neon. Indicam o que você pode ou não pode fazer naquele determinado espaço e o que o espera mais à frente (curvas, bloqueios, ruas sem saída e passagem de animais, por exemplo);

  • Placas de indicação e orientação de destino: As Placas de Identificação podem ser nas cores branca ou azul e posicionam o condutor ao longo do seu deslocamento ou com relação a distâncias ou ainda aos locais de destino. As Placas de Orientação de Destino podem ser verdes ou azuis e indicam ao condutor a direção que o mesmo deve seguir para atingir determinados lugares, orientando seu percurso e/ou distâncias.

  • Serviços auxiliares e educativas: As Placas Educativas são brancas e têm a função de educar aos usuários da via quanto ao seu comportamento adequado e seguro no trânsito. Podem conter mensagens que reforcem normas gerais de circulação. As Placas de Serviços Auxiliares são azuis e indicam aos usuários da via os locais onde os mesmos podem dispor dos serviços indicados, orientando sua direção ou identificando estes serviços. Azuis e retangulares, estes sinais de trânsito geralmente aparecem nas estradas indicando serviços próximos, como hotéis ou abastecimento. Outras aparecem nas vias urbanas, como as que indicam hospitais e estacionamentos. São também muito intuitivas e não precisam de tanta memorização como as duas primeiras;

  • Placas de atrativo turístico: As Placas de Atrativos Turísticos indicam aos usuários da via os locais onde os mesmos podem dispor de atrativos turísticos existentes, orientando sobre sua direção ou identificando estes pontos de interesse. São marrons, quadradas ou retangulares. Estas placas de trânsito sempre estão próximas aos pontos turísticos para indicar como chegar até eles ou a que distância eles se encontram.

  • Outras sinalizações: Além destes tipos principais, ainda existem as placas de Fiscalização Eletrônica, que indicam locais onde as vias são monitoradas ou fiscalizadas com lombadas, radares, etc, e os Dispositivos Auxiliares que têm a função de proteger os condutores nas questões de perigo, alinhamento e alerta.

Dicas para lembrar dos sinais de trânsito 2: Jogos e testes online

Nada melhor do que um bom joguinho ou teste para distrair a cabeça, não é mesmo? Mas, que tal aprender e memorizar um pouco mais sobre as placas de trânsito para mandar bem no seu exame teórico e na hora de dirigir? Existem alguns jogos e testes online que podem ajudar muito na hora de lembrar e entender o que cada placa significa. Nestes tipos de testes, você se empenha em aprender e nem percebe. Uma rápida pesquisa sobre memorização de placas em sites de buscas e você logo encontra alguns deles.

Dicas para lembrar dos sinais de trânsito 3: Cursos de trânsito

O último item apenas tem real serventia, se você já tem algum conhecimento ou já estudou e memorizou um pouco os sinais de trânsito. Se você não tem nenhum conhecimento, é difícil se sair bem, tanto nos jogos online como no exame teórico e na hora de dirigir. Por isto, se preparar bem e memorizar as placas de trânsito são atitudes muito importantes. Existem cursos relacionados ao trânsito, que os alunos não precisam decorar todas as placas para se sair bem. Talvez eles sejam a melhor solução para você na hora de memorizar as placas.

 

 

Solicite orçamento